Notícias
Voltar

Leixões e os portos do norte em Moçambique assinam acordo de cooperação empresarial

No seguimento da relação de cooperação empresarial que tem vindo a ser fomentada desde há 3 anos, entre os Portos de Leixões e os Portos do Norte em Nacala, Moçambique foi assinado um Protocolo de Cooperação empresarial, pelos Presidentes das duas Administrações Portuárias, Emílio Brogueira Dias e Fernando Couto, respectivamente, numa cerimónia que teve lugar ontem, dia 5 de setembro, em Maputo.

Com este protocolo a APDL formaliza a vontade do Porto de Leixões, o porto que em Portugal tem mais densas relações comerciais com os portos do continente Africano, de reforçar essa presença empresarial.

Por seu turno, os Portos do Norte estão conscientes da importância que o Porto de Nacala tem e terá no desenvolvimento da economia de Moçambique, vendo nesta parceria, uma oportunidade de qualificar os seus recursos humanos, colocando ao serviço da logística as melhores práticas do negócio portuário.

Nas palavras de Fernando Couto, "Os Portos de Moçambique precisam de apoio para a qualificação dos seus recursos técnicos, e sabemos que o Porto de Leixões nos pode dar esse apoio."

A APDL propõe-se disponibilizar aos Portos do Norte a transferência de conhecimentos nas áreas da organização, planeamento e gestão portuária bem como dos sistemas de apoio à gestão do sector portuário.

Brogueira Dias Ficou positivamente impressionado com a visita que fez ao Porto de Nacala. Segundo ele, "O Porto de Nacala está bem gerido e no bom caminho para consolidar a sua posição em Moçambique e no Mundo."

O acordo surge num bom momento para os dois portos, tendo ambos atingido no primeiro semestre deste ano um recorde de carga movimentada.

Do lado do Porto de Leixões, a utilização de novas tecnologias, a construção da Plataforma Logística, a densa relação com a comunidade de empresas de Portugal e a procura de estabelecer parcerias com os países de destino das cargas, entre eles Moçambique, são excelentes indicadores de futuro para responder ao grande esforço exportador que o país está a fazer.