News
Back

APDL reuniu Conselho de Navegabilidade do Douro onde apresentou as opções para o futuro

Os investimentos e as potencialidades do Douro foram alguns dos temas em cima da mesa

A Administração dos Portos do Douro, Leixões e Viana do Castelo (APDL) reuniu, esta quarta-feira, 11 de novembro, pelas 15h00, o Conselho de Navegabilidade do Douro para debater questões relacionadas as opções futuras de investimento para, de forma sustentável e procurando reduzir a pegada ecológica, dar resposta às necessidades que o desenvolvimento da atividade impõe.

Na terceira reunião, desde 2018, deste grupo de trabalho que é, agora, presidido por Nuno Araújo, presidente da APDL, foram debatidas ainda questões de formação, melhoria de legislação e promoção turística.

No final do encontro, Nuno Araújo, sublinhou a importância do espírito de cooperação e partilha de ideias que definem o Conselho de Navegabilidade do Douro: "O debate, a discussão e a aproximação de pontos de vista dos Conselheiros, bem como o trabalho conjunto desenvolvido por um número considerável de entidades com o propósito único de promover o crescimento sustentável da Via Navegável do Douro é absolutamente fulcral para fazer face à atual situação de pandemia e, no entretanto preparar o futuro deste curso fluvial de referência europeia".

Este conselho consultivo é composto pela APDL; CCDR-N; Agência Portuguesa do Ambiente; Direção-Geral de Recursos Naturais, Segurança e Serviços Marítimos; Capitania do Porto do Douro; REN – Rede Elétrica Nacional e EDP. Do grupo fazem ainda parte os municípios confinantes com o Douro, as associações comerciais e industriais, os concessionários dos portos fluviais da via, os operadores de navegação comercial, das atividades marítimo-turísticas e das atividades de pesca e, ainda, o representante dos municípios ribeirinhos, José Manuel Gonçalves, presidente da Câmara Municipal do Peso da Régua.

Recorde-se que o Conselho de Navegabilidade do Douro funciona como um órgão consultivo que deverá pronunciar-se sobre questões de interesse para a gestão da via navegável, propor as ações que considere adequadas à exploração do Douro e dos seus portos, assim como elaborar e aprovar o seu regulamento interno.

Novembro 2020